Vitamina B6 - Piridoxina
Compartilhar

Vitamina B6 - Piridoxina

A Vitamina B6 é solúvel em água e é eliminada cerca de 8 horas após sua ingestão, e, como as outras vitaminas B, precisa ser reposta pelo consumo de alimentos ou suplementos alimentares.1

A necessidade de tomar esta vitamina torna-se maior quando se seguem dietas altamente proteicas, já que as principais fontes naturais são: levedo de cerveja, farelo e germe de trigo, fígado, rim, soja, melão, repolho, arroz integral, ovos, aveia, amendoim e nozes.1

A vitamina B6 é um cofator para enzimas que estão envolvidas em mais de 100 reações afetando o metabolismo de proteínas, gorduras e carboidratos.2 Atua na regulação da ação dos hormônios esteroides como a progesterona e a testosterona.3 Além disso, também participa da regulação do metabolismo de aminoácidos e na produção de energia.4

A vitamina B6 ajuda a assimilar adequadamente as proteínas e gorduras. Promove a síntese de ácidos nucleicos que retardam o envelhecimento. Reduz os espasmos musculares noturnos, câimbras nas pernas e dormência nas mãos.1

A vitamina B6 é cofator da produção de serotonina, que estimula a saciedade e bem-estar.5,6 Sua principal função é a produção de serotonina a partir do aminoácido triptofano no cérebro e em outros neurotransmissores, e por isto tem um papel na regulação da saciedade.7

A deficiência desta vitamina, apesar de ser rara, é grave, sendo que os primeiros sintomas se manifestam por problemas dermatológicos, circulatórios e neurológicos, podendo levar também à depressão, anemia, convulsões, distúrbios do sono, inflamação dos nervos, síndrome pré-menstrual, diminuição da concentração, náuseas, vômitos, entre outros sintomas.4

Referências

  1. MINDELL, E. Vitaminas – Guia Prático das Propriedades e aplicações. Melhoramentos, 1996, p.46-49.
  2. MASON, P. Dietary Supplements. 3ª edição. Pharmaceutical Press, 2007, p. 318-323.
  3. PENTEADO, M. V. C. Vitaminas: Aspectos nutricionais, bioquímicos, clínicos e analíticos. Barueri, SP : Manole, 2003, p. 365-403.
  4. PASCHOAL, V., MARQUES, N., SANT’ANNA, V. Nutrição Clínica Funcional: Suplementação Nutricional. 1ª edição, São Paulo: VP Editora, 2013, p. 237-250.
  5. CAMBRAIA, R. P. B.. Aspectos psicobiológicos do comportamento alimentar. Rev. Nutr., v. 17, n. 2, p. 217-225, 2004.
  6. NAVES, A. et al. Regulação Funcional da Obesidade. ConScietiae Saúde, v. 6, n. 1, p. 189-199, 2007.
  7. Vitamin B6. DSM - Vitamin Basics The Facts about Vitamins in Nutrition, p. 57-62.