Vitamina B9 - Ácido Fólico
Compartilhar

Vitamina B9 - Ácido Fólico

O ácido fólico é uma vitamina hidrossolúvel que faz parte do complexo B e é também conhecida como Vitamina B9.1 É naturalmente encontrado em alimentos como fígado, lentilhas, gérmen de arroz, levedura de cerveja, farinha de soja, feijão preto, feijão branco, amendoim, espinafre, nabo, trigo integral e aspargos.2 Pode ser encontrado também em folhas escuras, cenoura, abacate, gema e centeio integral.3

Esta vitamina participa da síntese dos ácidos nucleicos que fazem parte do material genético, formação dos aminoácidos glicina, metionina, tirosina e ácido glutâmico, e das células do sangue (glóbulos vermelhos e brancos).4

O ácido fólico participa, juntamente com outras vitaminas do complexo B, em diversas reações bioquímicas. Por isso, é recomendada a reposição desta vitamina, em associação com outras vitaminas do complexo B.5

O ácido fólico é cofator da produção de serotonina, que estimula a saciedade e bem-estar.6,7

A deficiência da vitamina B9 (ácido fólico) é considerada uma das mais comuns entre as deficiências nutricionais, e é caracterizada por sinais e sintomas como anemia, fraqueza, cansaço, perda de cabelo, dores de cabeça, irritabilidade, insônia, depressão, demência, esquecimento, diarreia, perda de peso entre outros. Além disso, a carência de ácido fólico interrompe o metabolismo do DNA, o que prejudica o desenvolvimento celular.5

As principais causas da deficiência de ácido fólico são: dieta deficiente, problemas de absorção intestinal, necessidade de ingesta aumentada durante gravidez, lactação, anemia megaloblástica e leucemia.1 Ainda, algumas substâncias podem diminuir a concentração de ácido fólico no organismo, como o álcool, contraceptivos orais, anti-inflamatórios, antiácidos, fenitoína e sulfadiazina, o que leva a uma maior necessidade deste nutriente.5

Durante a gestação e lactação muitos profissionais recomendam a suplementação com ácido fólico, pois a ingestão adequada deste e de outros nutrientes é essencial para assegurar o crescimento normal e um desenvolvimento saudável do feto. Há relato de estudos que mostram a relação de baixos níveis de folato associados ao peso reduzido de recém-nascidos. Outros estudos também demonstram o efeito protetor da ingestão de ácido fólico antes e durante a gestação, com relação à incidência de má-formação do tubo neural. Além disso, durante a lactação, as necessidades de folato para as mulheres aumentam, para suprir a quantidade deste nutriente que é excretada no leite materno. 8

Referências

  1. MASON, P. Dietary Supplements. 3ª edição. Pharmaceutical Press, 2007, p. 129-138.
  2. Quick Access – Professional Guide to Conditions, Herbs & Supplements. Newton: Integrative Medicine Communications, 2000, p. 408-409.
  3. MINDELL, E. Vitaminas – Guia Prático das Propriedades e aplicações. Melhoramentos, 1996, p. 68-70.
  4. RONDEROS, M. P. S. Ácido Fólico: Nutriente redescubierto. Acta méd. Costarricense, v. 45, n. 1, 2013.
  5. PASCHOAL, V., MARQUES, N., SANT’ANNA, V. Nutrição Clínica Funcional: Suplementação Nutricional. 1ª edição, São Paulo: VP Editora, 2013, p. 268-285.
  6. CAMBRAIA, R. P. B.. Aspectos psicobiológicos do comportamento alimentar. Rev. Nutr., v. 17, n. 2, p. 217-225, 2004.
  7. NAVES, A. et al. Regulação Funcional da Obesidade. ConScietiae Saúde, v. 6, n. 1, p. 189-199, 2007.
  8. PENTEADO, M. V. C. Vitaminas: Aspectos nutricionais, bioquímicos, clínicos e analíticos. Barueri, SP : Manole, 2003, p. 485-524.