Vitamina H - Biotina
Compartilhar

Vitamina H - Biotina

A vitamina H, mais comumente chamada de biotina, pertence à família do complexo B. Ela é essencial para o metabolismo das gorduras e proteínas e auxilia na manutenção de uma pele saudável. Age em sinergia com as vitaminas A, B2, B6 e niacina.1

As principais fontes naturais são fígado bovino, gema de ovo, farinha de soja, levedo de cerveja, leite, rins e arroz integral.1

É uma vitamina que apresenta efeito direto na formação da pele, sendo também conhecida como “fator pele”, participando ainda na degradação dos carboidratos e, indiretamente, na síntese de várias proteínas.2 Além disso, colabora para evitar o embranquecimento dos cabelos, ajuda na prevenção da calvície, acalma as dores musculares e dermatite.1

A biotina é utilizada no tratamento de algumas desordens de pele, de unhas fracas e frágeis, na perda de cabelo e no auxílio do controle da glicose no sangue.3

Ela tem um papel importante no metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos. A biotina também tem um papel especial na habilidade do corpo em usar a glicose do sangue como fonte de energia. A sua reputação como “vitamina da beleza” é porque ela ativa o metabolismo aminoácido/proteína na raiz dos cabelos e nas células das unhas.4

A deficiência da biotina leva ao aparecimento de sinais e sintomas como dermatite, pele seca e fina, conjuntivite, convulsões, retardo mental e má formação fetal. A carência desta vitamina pode ser observada comumente em indivíduos que consomem bebida alcoólica em excesso, fazem tratamento com antibióticos a longo prazo, na gestação e em tabagistas.5

Referências

  1. MINDELL, E. Vitaminas – Guia Prático das Propriedades e aplicações. Melhoramentos, 1996, p. 55-56.
  2. 2. FRANCO, G. Tabela de Composição Química dos Alimentos. 9ª edição, Atheneu, 1999, p. 35-38.
  3. 3. Quick Access – Professional Guide to Conditions, Herbs & Supplements. Newton: Integrative Medicine Communications, 2000, p. 418.
  4. 4. Biotin. DSM - Vitamin Basics The Facts about Vitamins in Nutrition, p. 85-90.
  5. 5. PASCHOAL, V., MARQUES, N., SANT’ANNA, V. Nutrição Clínica Funcional: Suplementação Nutricional. 1ª edição, São Paulo: VP Editora, 2013, p. 396-404.