Vitaminas e Minerais

Ansiedade: sintomas e como a alimentação pode combate-la

14 de outubro de 2019 . por Vanderli Marchiori (CRN 3/3343)

“Estou acima do peso porque sinto muita Ansiedade. Não consigo resistir aos doces por causa da minha ansiedade... Faça qualquer restrição, mas não tira meu chocolate pois sou super ansioso(a)”.

A grande maioria dos nutricionistas ouve falas como estas pelo menos uma vez ao dia. As pessoas acreditam que muito do seu peso está associado diretamente ao comer como se não houvesse amanhã, comportamento que pode ter relação com a ansiedade.

Ansiedade é muito mais do que aquele frio na barriga. É um distúrbio normalmente associado a antecipação do futuro. As pessoas que tendem viver situações e/ou problemas antes de acontecerem podem possuir distúrbios ou ansiedade, que devem ser analisados por um especialista. Há também o TAG que é o Transtorno de Ansiedade Generalizado que acomete uma parcela bem menor da população e requer um tratamento mais especifico. No processo de tratamento interdisciplinar é comprovado que algumas vitaminas e minerais quando suplementadas fazem a diferença nos quadros de ansiedade1.

E o que o profissional de nutrição pode fazer para auxiliar positivamente neste processo de autoconhecimento emocional e nutricional? O autoconhecimento emocional é sempre realizado por profissionais especialistas em psiquiatria e psicoterapia, ao nutricionista cabe a análise minuciosa de deficiências nutricionais que colaboram com o quadro. Vamos desvendar este mistério?

Sintomas mais comuns da ansiedade:

  • Alteração de batimento cardíaco;
  • Boca seca;
  • Mãos geladas;
  • Sono leve demais ou insônia;
  • Falhas de memória;
  • Concentração.

Dicas de alimentação para os ansiosos:

  • Alimentos crocantes ao invés de macios – alimentos crocantes como torradas exigem mais mastigação do que pães macios. Assim a pessoa precisa prestar mais atenção ao que está comendo e mastigando, e em geral se acalma;
  • Evitar bebidas alcoólicas – o consumo interfere no metabolismo de vitaminas do complexo B atuam no metabolismo energético;
  • Consumir folhas verdes claras e escuras – o consumo destes vegetais visa garantir níveis adequados ao organismo de vitaminas B1 B3 e B6 além de fibras que atuam em diversos processos fisiológicos importantes para o bem-estar do ser humano;
  • Fibras auxiliam a manter a glicemia do sangue estável. Quando a glicose se mantém normal há bem menos chances de picos de ansiedade. Quem nunca deu uma surtadinha básica que se resolveu com uma refeição? Vale usar um mix de fibras se você não consegue se alimentar em horários regulares;
  • Ovos são muito bem-vindos – a gema dos ovos contém colina e lecitina que são fundamentais para melhorar o sistema nervoso central2;
  • Peixes, algas e linhaça – estas fontes de ômega 3 auxiliam a garantir um mínimo de gordura para o cérebro2.
  • Atenção vegetarianos e veganos – grupos que não consomem proteínas animais precisam redobrar a atenção com os níveis de vitamina B12. Esta vitamina é responsável pelo equilíbrio neuromuscular, além de atuar na redução do episódio de ansiedade3.

Então, se você se preocupa com seu equilíbrio nutricional e tem dúvidas se consome todos os nutrientes que seu corpo precisa, procure um profissional de nutrição para te ajudar nesta jornada de comer alimentos mais ricos em vitaminas e minerais. Equilíbrio é a chave de ouro para o sucesso e um profissional capacitado certamente fará a diferença em sua vida!

 

¹ Kathleen A. Head, ND, and Gregory S. Kelly, ND , Nutrients and Botanicals for Treatment of Stress:Adrenal Fatigue, Neurotransmitter Imbalance, Anxiety, and Restless Sleep

² Khan, Sarah & Khan, Rafeeq. (2016). Healthy Diet a Tool to Reduce Anxiety and Depression. Journal of Depression and Anxiety. 05. 10.4172/2167-1044.1000220.

³ MDPI and ACS Style Rodriguez-Lozada, C.; Cuervo, M.; Cuevas-Sierra, A.; Goni, L.; Riezu-Boj, J.I.; Navas-Carretero, S.; Milagro, F.I.; Martinez, J.A. Changes in Anxiety and Depression Traits Induced by Energy Restriction: Predictive Value of the Baseline Status. Nutrients 2019, 11, 1206.

Escrito por

Vanderli Marchiori (CRN 3/3343)

Nutricionista, formada pela Faculdadea São Camilo e Fitoterapeuta pelo Manchester Institute. - Idealizadora do CEFITOS Centro de Estudos em Fitoterapia e Saúde - Membro da Associação Brasileira de Fitoterapia e da Associação Argentina de Fitomedicina - Fundadora da Associação Paulista de Fitoterapia - Fundadora e Conselheira da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva - Colaboradora Técnica do Conselho Federal e Regional de Nutricionistas e da Associação Paulista de Nutrição - Fitoterapeuta pelo Medicina Natural Alternativa no Manchester Institute of Medicine - Instrutora Oficial de Mindfulness Based Eating - Professora Convidada de Hospitais e de várias Universidades Publicas e Privadas nos Cursos de Graduação e Pós Graduação em Nutrição e Medicina - Fundadora da Sociedade Brasileira de Nutrição Esportiva e Associação Paulista de Fitoterapia

Nosso Instagram