Sabe-se que o fruto cranberry é conhecido pelo seu sabor ácido, entretanto o Cranberry Catarinense foi desenvolvido para oferecer uma bebida de sabor frutas vermelhas agradável ao paladar. O Cranberry Catarinense é um produto de preparo instantâneo, sem adição de açúcares e ainda com baixo teor de calorias.¹ O Vaccinium macrocarpon, cujos frutos são popularmente conhecidos como cranberry, possui uma quantidade de PAC’s do tipo A elevada em relação à outras frutas, como: Ameixa, Amora, Blueberry, Framboesa, Maçã, Morango e Uva.6 A proantocianidina A possui uma potência antioxidante 20 vezes maior que a vitamina C e 50 vezes mais potente que a vitamina E.7

Quero saber mais sobre Cranberry Catarinense

Contém

Cranberry em Pó

Não contém

Açucar

Glúten

Avaliações

0 0 Avaliações Avaliar

Informações Técnicas

Número de Registro

Categoria de alimento dispensado de registro conforme Resolução RDC 27/2010

Ingredientes

Amido modificado, cranberry em pó, acidulante ácido cítrico (INS 330), aroma idêntico ao natural de frutas vermelhas, espessante goma xantana (INS 415) e edulcorante artificial sucralose (INS 955). NÃO CONTÉM GLÚTEN

Quantidade

30 sachês com 6g cada

Recomendações de Uso

Dissolver o conteúdo do sachê de 6 g em 200 mL de água filtrada ou fervida e mexer até a completa dissolução. Recomenda-se consumir 1 sachê ao dia.

Finalidade do Uso

Sabe-se que o fruto Cranberry é conhecido pelo seu sabor ácido, entretanto o Cranberry Catarinense foi desenvolvido para oferecer uma bebida de sabor frutas vermelhas agradável ao paladar. O Cranberry Catarinense é um produto de preparo instantâneo, sem adição de açúcares e ainda com baixo teor de calorias.

O Cranberry (Vaccinium macrocarpon) é um fruto vermelho abundante na costa leste dos Estados Unidos da América, usado com fins alimentícios desde o século XVII e objeto de estudo, desde há várias décadas. ¹

A história do Cranberry inicia-se basicamente com os índios nativos norte-americanos utilizando-o na dieta devido aos seus efeitos benéficos para a saúde. ² Em 1961, peregrinos introduziram esse fruto no dia de ação de graças, passando a fazer parte da ceia junto com carne de peru e lagostas. ³

O Vaccinium macrocarpon é um arbusto perene da família Ericaceae e do gênero Vaccinium, de folhas pequenas e flores de cor rosa escura. Seu fruto é uma baga inicialmente de cor branca, mas que se torna vermelho-escuro quando completamente maduro, sendo comestível, de sabor adocicado e levemente ácido. O suco de seus frutos é amplamente consumido, possuindo as antocianidinas como classe majoritária. 4

Este fruto é composto por água, ácidos orgânicos, glicose, vitamina C, frutose e um tipo específico de flavonoides, as proantocianidinas (PAC’s), um subtipo de taninos.¹ As PAC’s possuem uma ligação do tipo A interflavonóide, portanto, são chamadas de proantocianidinas do tipo A e representam cerca de 94,5% das PAC’s presentes no fruto. 5

O Vaccinium macrocarpon, cujos frutos são popularmente conhecidos como cranberry, possui uma quantidade de PAC’s do tipo A elevada em relação à outras frutas, como: Ameixa, Amora, Blueberry, Framboesa, Maçã, Morango e Uva. 6 A proantocianidina A possui uma potência antioxidante 20 vezes maior que a vitamina C e 50 vezes mais potente que a vitamina E. 7

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL - CRANBERRY CATARINENSE

Porção de 6 g (1 sachê)

Quantidade por porção

% VD (*)

Valor Energético

20 Kcal = 84 KJ

1%

Carboidratos

5,0 g, dos quais:

2%

Açúcares

0g

**

Não contém quantidades significativas de proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio.

* % Valores Diários de Referência com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8.400KJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.** VD não estabelecido

Recomendações e advertências

Cranberry Catarinense. Categoria de alimento dispensado de registro conforme Resolução RDC 27/2010. Consumir este produto conforme a recomendação de ingestão diária constante da embalagem. Gestantes, nutrizes e crianças até 3 anos, somente devem consumir este produto sob orientação do nutricionista, médico ou farmacêutico. Referências: 1 – PINA, A. et al. Arando na profilaxia das infecções urinárias recorrentes: revisão baseada na evidência. Rev Port Clin Geral 2011;27:452-7. 2 - DESSÌ, Angelica; ATZEI, Alessandra; FANOS, Vassilios. Cranberry in children: prevention of recurrent urinary tract infections and review of the literature. Brazilian Journal of Pharmacognosy, Cagliari, v.21, n.5, p.807-813, set./out. 2011. 3 - JEPSON, Ruth G.; WILLIAMS, Gabrielle; CRAIG, Jonathan C. Cranberries for preventing urinary tract infections. Sao Paulo Med J, São paulo, v. 131, n. 5, p.363, 2013. 4 – SANTANA, D.G. Evidências científicas sobre o uso de plantas medicinais e avaliação do extrato de cranberry (Vaccinium macrocarpon) na pancreatite aguda experimental – São Cristóvão, 2017. 145 f.: il. Tese (doutorado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal de Sergipe, 2017. 5 - ROLLO, Ana Cristina Castro de Almeida. O sumo de arando e a sua utilidade na criança com infeção urinária. 2014. 38 f. Monografia (Mestrado Integrado em Medicina) - Faculdade de Medicina, Universidade do Porto, Portugal. 6 - GUPTA, K.; CHOU, M. Y.; HOWELL, A.; WOBBE, C.; GRADY, R.; STAPLETON, A. E. Cranberry Products Inhibit Adherence of P-Fimbriated Escherichia Coli to Primary Cultured Bladder and Vaginal Epithelial Cells. J Urol., EUA, v.177, n.6, p.2357-2360. 7 – PALMA, P. Cistite na Mulher. Revista Brasileira de Medicina, Campinas, v. 70, n. 10, p. 350-357, 2013.

Dúvidas? Pergunte aqui.

Nossos especialistas estão prontos para responder.