Suplemento alimentar de Glutamina em pó

A Glutamina da linha Catarinense Nutrição possui origem vegetal e é composta por 100% Glutamina micronizada pura em pó, com sabor neutro e livre de odor.

Quero saber mais sobre Glutamina

Contém

Baixo em valor energético

L-Glutamina (origem vegetal)

Não contém

Açúcares

Glúten

Gorduras Saturadas

Gorduras Totais

Sódio

Colesterol

Lactose

Avaliações

0 0 Avaliações Avaliar

Informações Técnicas

Número de Registro

Categoria de alimento dispensado de registro conforme Resolução RDC 27/2010

Ingredientes

L-Glutamina. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Quantidade

250g

Recomendações de Uso

Diluir 1 dosador (5g) em 200 mL de água (1 copo) ao dia ou conforme recomendação do nutricionista ou médico. Pode ser adicionado à bebidas e alimentos de sua preferência.

Finalidade do Uso

A glutamina é o aminoácido livre mais abundante no organismo¹ ². Sua concentração plasmática é de 0,5 a 0,9 mmol/L, e aproximadamente 80% da glutamina corporal encontra-se no músculo esquelético, sendo esta concentração 30 vezes superior à do plasma ³,4 . A síntese de glutamina é feita a partir do ácido glutâmico, valina e isoleucina, sendo esta reação catalisada pela enzima glutamina sintetase na presença de ATP. 15, 16, 17

A glutamina está presente na composição de proteínas vegetais e animais; considerando-se a porcentagem da proteína pelo seu número de aminoácidos, verificou-se que a glutamina representa 35,1% da gliadina presente no trigo; 24,2% da proteína do feijão; 9,6% da glicina presente na soja; 8,9% da β-caseína presente no leite de vaca; e 3,8% do ovo albumina presente no ovo de galinha. 18 A glutamina é ativamente transportada para dentro das células através de um sistema dependente de sódio, resultando em gasto de energia. O transporte de glutamina através da membrana da célula muscular é rápido e sua velocidade superior à de todos os outros aminoácidos 10 .

O metabolismo intracelular da glutamina é regulado através de duas enzimas principais: a glutaminase, que catalisa a hidrólise da glutamina em glutamato e a glutamino-sintetase, que catalisa a síntese de glutamina a partir de glutamato e amônia 12 . As células epiteliais da mucosa intestinal têm alta concentração de glutaminase, compatível com as altas taxas de captação e consumo de glutamina 13 .

O fígado desempenha um papel central no metabolismo da glutamina, pois é capaz de absorver ou liberar quantidades significativas de glutamina de acordo com as necessidades metabólicas do organismo 14.

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL - Glutamina

Porção de 5,0g (1 dosador)

Quantidade por porção

% VD (*)

Valor energético

20 kcal = 84kJ

1%

Carboidratos

0 g, dos quais:

0%

Açúcares

0g

**

Lactose

0g

**

Proteínas

4,9g

7%

Gorduras totais

0g, das quais:

0%

Gorduras saturadas

0g

0%

Gorduras trans

0g

0%

Fibra alimentar

0g

0%

Sódio

0g

0%

L-Glutamina

5,0g

**

* % VD = Valores diários com base em uma dieta de 2.000kcal ou 8.400kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. ** VD não estabelecido.

Recomendações e advertências

Glutamina. Categoria de alimento dispensada de registro conforme Resolução RDC 27/2010. Este produto é indicado para indivíduos com 19 anos ou mais. Este produto não é um medicamento. Não exceder a recomendação diária de consumo indicada na embalagem. Mantenha fora do alcance de crianças. Este produto não deve ser consumido por gestantes, lactantes e crianças. NÃO CONTÉM GLÚTEN. Referências: 1. RODRIGUES J. et al. Glutamina: metabolismo, destinos, funções e relação com o exercício físico. Arq. Cien Saúde UNIPAR. 2002; 6:81-8. 2. VASCONCELOS MIL, TIRAPEGUI J. Importância nutricional da glutamina. Arq Gastroent. 1998; 35:207-15. 3. ROGERO MM. et al. Plasma and tissue glutamine response to acute and chronic supplementation with L-glutamine and L-alanyl-L-glutamine in rats. Nutr Res. 2004; 24:261-70. 4. ROGERO MM. et al. Effect os alanyl-glutamine supplementation on plasma and tissue glutamine concentration in rats submitted to exhaustive exercise. Nutrition. 2006; 22:564-571. 5. ANGELIS, R. C.; TIRAPEGUI, J. Fisiologia da Nutrição Humana. Aspectos básicos,aplicados e funcionais. São Paulo: Atheneu, 2007. 6. BORGES, M. C.; ROGERO, M. M.; TIRAPEGUI, J. Suplementação enteral e parenteral com glutamina em neonatos pré-termo e com baixo peso ao nascer. Rev Bras Cie Farm. 2008; 44(1): 13-23. 7. FONTANA, K. E.; VALDES, H.; VALDISSERA, V. Glutamina como suplemento ergogênico. . R. Bras. Ci. e Mov. 2003; 11(3):91-96. 8. ROGERO, M. M. Glutamina. In: PASCHOAL, V.; NAVES, A. Tratado de Nutrição Esportiva Funcional. 1. ed. São Paulo: Rocca, 2014. 9. WOODGATE D., et al. The effects oh hight-dose glutamine ingestion on weightfting performance. J Strength Cond Res. 2002; 16:157-60. 10. Souba WW, Wilmore DW. Gut-liver interaction during accelerated gluconeogenesis. Arch Surg; 1985; 120: 66-70. 11. Pinkus LM, Windmueller HG. Phosphate-dependent glutaminase of small intestine and localization and role in intestinal glutamine metabolism. Arch Biochem Biophys; 1990; 182: 506-17. 12. LOPES-PAULO F. Efeitos da glutamina sobre a parede intestinal e sua aplicabilidade potencial em coloproctologia. Rev bras Coloproct, 2005;25(1):75-78.

Dúvidas? Pergunte aqui.

Nossos especialistas estão prontos para responder.